home Acervo AS FORMIDÁVEIS

AS FORMIDÁVEIS

Release

 Dirceu de Carvalho, Larissa Cardoso, Moacir Ferraz,

Nathália Alfieri e Tamirys O’hanna

em

 

AS FORMIDÁVEIS

De Cláudia Maria de Vasconcellos

Direção Priscila Jorge e Neca Zarvos

Trilha original Natalia Mallo

 

Domingos, às 12h, no Sesc Bom Retiro

 

Texto inédito de premiada autora de teatro infantil faz temporada aos domingos até 11 de agosto

 

As Formidáveis é uma peça infantil e musical que acompanha as aventuras e desventuras de um trio de amigas que são ao mesmo tempo cantoras pop e agentes secretas. Chefiadas pelo ex-vilão e atual caça-malfeitores Almeida, o trio papo-firme, com seu jeito atrapalhado, consegue impedir as maldades de vilões como Dr. Estraga-Prazeres, Monsieur Vilon, Dondoca, Kara-tê e Lero-Lero e, ao mesmo tempo, conquistar muitos fãs com suas apresentações num concurso de calouros. A peça é narrada pelo arqui-inimigo do trio, Dick Trapaceiro, e tem como tema principal a diferença entre mentira e verdade, entre parecer e ser, entre ter e ser. A peça cobre um período que vai de 1966 a 1971 e explora vastamente a estética pop da época: moda, costumes, gíria, música, dança, programas de rádio e de TV.

O texto inédito revisita os desenhos animados produzidos nas décadas de 60 e 70, bem como seriados deste período. Assim, tem como referências desenhos como Os Impossíveis, Brasinhas do Espaço, Frankenstein Jr., Super-Galo, Josie and the Pussycats, e seriados como As Panteras e Agente 86. A peça também homenageia um fenômeno musical pop dos anos 60 e 70, os Trios de Garotas Cantoras como as Supremes, As Xangrilas, Martha Reeves and the Vandellas, e explora as coreografias da época, resumidas no estilo de Gwen Verdon. Outra referência forte de As Formidáveis são os programas de auditório. Metade do enredo transcorre nos bastidores do programa Show sem Fim que homenageia os icônicos programas como os do Chacrinha, Silvio Santos e Flávio Cavalcanti.

A peça aborda de forma inteligente e bem-humorada temas como a força da amizade e a importância de aceitar e assumir quem somos e como somos para poder realizar todo o nosso potencial. Também busca inspiração numa época – meados dos anos 60 até começo dos 70 – em que muitos valores estavam sendo questionados e recolocados, e espaços existenciais até então inéditos estavam sendo ocupados. Esses são temas bastante atuais, apesar dos 50 anos passados desde então, e estão na ordem do dia tanto para crianças como para adultos – o que torna o espetáculo interessante para todas as idades.

“Revisitar, com nosso olhar atual, o humor surreal, ingênuo e irônico dos desenhos animados e seriados de TV dessa época é ao mesmo tempo delicioso e desafiante. Achamos que algo dessa liberdade criativa pode nos ajudar a encarar os tempos atuais com mais leveza, afeto e honestidade, e isso se manifestou nas escolhas da Direção desde a concepção inicial até o produto final, passando pela formação e relação com a equipe de criação, e pela escolha e direção dos atores,” afirmam as diretoras. E completam: “O que tem na ficção tem na realidade, tem no mundo. Tem pessoas imperfeitas, cada uma com suas habilidades, trabalhando juntas – muito e com afeto – para fazer algo que valha a pena. Formidável é a amizade com seus encontros e desencontros, é a capacidade de conectar-se com os outros e compartilhar a vida.”

 

Sinopse Resumida: O trio de amigas As Formidáveis são ao mesmo tempo cantoras pop e agentes secretas. Chefiadas pelo ex-vilão e atual caça-malfeitores Almeida, com seu jeito atrapalhado, conseguem impedir as maldades de vilões e conquistar muitos fãs com suas apresentações. A peça tem como tema principal a diferença entre mentira e verdade, entre parecer e ser, entre ter e ser.

Ficha Técnica

Dramaturgia Cláudia Maria de Vasconcellos

Direção Priscila Jorge e Neca Zarvos

Trilha original Natalia Mallo

Figurinos, adereços e visagismo Marina Reis

Cenografia e iluminação Marisa Bentivegna

Elenco

Dirceu de Carvalho

Larissa Cardoso

Moacir Ferraz

Nathália Alfieri

Tamirys O’hanna

Voz Narrativa em Off Antonio Moreno

Ilustrações e Arte Gráfica Rica Ramos

Assessoria de Imprensa Morente Forte Comunicações

Produção Executiva Maíra Silvestre

Produção Núcleo Dança Aberta

Parceria Corpo Rastreado

 

Canções:

“Eu sou o tal”, “Fique Aqui”, “Eu sou diferente”, “Olhar X49” e “Formidável” Letra: Cláudia Maria de Vasconcellos

Música: Natalia Mallo

 

“Donas do Pedaço”

Letra: Cláudia Maria de Vasconcellos

Música: Neca Zarvos e Natalia Mallo

 

Músicos convidados para gravação da Trilha Sonora

Claudio Faria

Danilo Penteado

Mariá Portugal

Ramiro Murillo

Serviço

AS FORMIDÁVEIS

 SESC BOM RETIRO (291 lugares)

Alameda Nothmann, 185

Informações: 3332-3600

Estacionamento na Alameda Cleveland, 529. R$ 5,50 (credencial plena) a primeira hora e R$ 2,00 a hora adicional; R$ 12,00 (público em geral) a primeira hora e R$ 3,00 a hora adicional

Bilheteria: Terça a sábado, das 9h às 21h. Domingos e feriados, das 9h às 18h

Ingressos à venda nas bilheterias em toda rede Sesc SP

 

Domingos às 12h

 Ingressos: R$ 17,00

 R$ 8,50 (meia-entrada: estudante, servidor de escola pública, +60 anos, aposentado e pessoa com deficiência)

R$ 5,00 (credencial plena: trabalhador no comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes)

** Sessão extra dia 09 de julho, terça, às 12h**

Duração: 75 minutos

Recomendação: a partir de 5 anos

Estreou dia 30 de junho de 2019

 Curta Temporada: até 11 de agosto

 

Sobre a autora

Cláudia Maria de Vasconcellos Escritora, ensaísta e dramaturga, atuando nas áreas adulta e infanto-juvenil desde 1994. Assina os textos de espetáculos premiados como: As Roupas do Rei, direção Cris Lozano, 2001 – Assembleia dos Bichos, Bendita Trupe, 2005 – O Tesouro de Balacobaco, Bendita Trupe, 2007. Algumas premiações pela obra dramática e literária: – Prêmio Biblioteca Nacional por Samuel Beckett e seus Duplos, Editora Iluminuras, 2017 (ensaio) – Prêmio Brasília de Literatura – 2o lugar – A Fome do Lobo, Editora Iluminuras, 2014 (literatura infantil) – Prêmio Femsa, melhor autor teatral, O Tesouro de Balacobaco, 2007 (teatro infantil) – Grande Prêmio da Crítica APCA pela peça Assembleia dos Bichos, 2005 (teatro infantil) – Prêmio Tatiana Belinky, Secretaria de Cultura do Estado, SP, Uma História da China, 2003 (teatro infantil) – Premio MinC, Textos Teatrais Inéditos, As Roupas do Rei, 2001 (teatro infantil). Sua obra infantil está publicada por editoras como Companhia das Letrinhas, Iluminuras, Global, Rocco, SM, MasterBooks, Ateliê Editorial e Nova Alexandria.

 

Sobre as diretoras

Atrizes, dançarinas, produtoras e professoras de improvisação de movimento, Neca Zarvos e Priscila Jorge assinam sua primeira direção para espetáculo de teatro infantil. Trabalham em parceria há mais de dez anos dirigindo o Núcleo Dança Aberta.

 

Neca Zarvos Formada em Filosofia pela USP. Em sua formação teatral e de dança trabalhou com Tica Lemos, Danny Lepkoff, Nancy Stark Smith, Karen Nelson, Alito Alessi, Madalena Bernardes, Mariana Muniz e Jurij Alschitz, entre outros. Entre os espetáculos de teatro de que participou destacam-se: Irmãs do Tempo – As Bruxas, 1997, texto de C.A. Soffredini e Claudia Vasconcellos, direção de Armando Sérgio e Regina Mendes (como produtora, co-criadora e atriz); Assembleia dos Bichos, 2005, texto de Claudia Vasconcellos, direção de Johana Albuquerque (como produtora e atriz); e As Cegas, 2011, texto e direção de Claudia Vasconcellos, com o Teatro do Tempo, (como produtora e atriz). Produziu, assistiu à direção e dançou na montagem de Joy Lab Research espetáculo dirigido por Alessi como parte do Projeto DanceAbility Brasil 2007.

 

Priscila Jorge Formada em Artes Cênicas pela UNICAMP (1999), em sua trajetória assistiu às direções de Yara Novaes no espetáculo “O Amor e Outros Estranhos Rumores” do Grupo 3 de Teatro e também de Odilon Wagner nas montagens paulista e carioca de “A Última Sessão”. Trabalhou, entre outros, nos seguintes espetáculos de teatro: As Cadelas, 1998, de Antonio Rogério Toscano, direção de Maria Thais (como atriz e produtora); Mire Veja, 2003, baseado em contos de Luiz Ruffato, dramaturgia e direção de Pedro Pires e Zernesto Pessoa (como atriz e produtora); Miserê Bandalha, 2006, da Cia de Atores Bendita Trupe, direção de Johana Albuquerque (como atriz e produtora); Luna Clara & Apolo 11, 2006, de Adriana Falcão, dramaturgia de Marcelo Romagnoli, direção de Cris Lozzano (como atriz e produtora); O Amor e Outros Estranhos Rumores, 2010, baseado em contos de Murilo Rubião, dramaturgia de Silvia Gomez, e direção de Yara de Novaes (como atriz e assistente de direção). Junto a Companhia Flutuante, integra os elencos do espetáculo de dança Flutuante, 2011, com direção de Letícia Sekito e de Fluxos em Preto e Branco, uma série de performances de dança e desenho realizadas de 2012 a 2014.

 

Sobre a compositora da trilha original

Natalia Mallo é multi-artista e curadora, nascida na Argentina e residente no Brasil desde 1995. Tem 20 anos de experiência no desenvolvimento de projetos nas áreas de música, artes cênicas e práticas interdisciplinares. Por suas criações recebeu os prêmios APCA, Bravo!, Coca-Cola FEMSA, Prêmio Governador do Estado de São Paulo e outros. Atua como intérprete, musicista e diretora em teatro infantil e adulto com obras premiadas como “Meu pai é um homem pássaro”, “Filminho” e “O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu”. Atualmente dirige o festival internacional multi-linguagem RISCO.

 

Sobre o Elenco

 

Dirceu de Carvalho Formado em Artes Cênicas pela UNICAMP desde 2003 é ator, diretor e dramaturgo. Trabalha com teatro, cinema e televisão desde 1996, tendo recebido diversos prêmios em festivais de teatro e cinema do interior de São Paulo. Colaborador e parceiro da Cia. de Teatro Lusco Fusco, Cia. Histriônica de Teatro, Matula Teatro, Cia. Bacantes e Cia. Teatro de Elevador Panorâmico. Coordena o grupo de estudos de Mímica Corporal Dramática em Barão Geraldo.

 

Larissa Cardoso Formada pelo Curso Técnico de Atuação em Teatro Musical do SESI/SP em 2016, Cantora, atriz e dubladora, aos 11 anos foi a vencedora do concurso nacional promovido pela Disney e SBT para dublar a personagem Melody em “A Pequena Sereia 2”. Teve aulas com grandes nomes do mercado brasileiro como Amélia Gumes, Beatriz Lucci, Carlos Bauzys, Daniel Rocha, Bianca Tadini, Cristina Trevisan, dentre outros. Nos palcos integrou o elenco do Cultura Inglesa Theatre Group em 2011. É a voz da Bruxa Má no espetáculo musical infantil da Turma da Mônica “Era uma vez… uma história de príncipes e princesas”. Em 2017 fez uma participação na série da Globo “Vade Retro” como Enfermeira Crente.

 

Moacir Ferraz Mestre em Artes pela UNICAMP. Ator e diretor teatral, possui também experiência em TV e cinema. Integrante da Boa Companhia, de Campinas, desde 1993. Participou dos principais festivais de teatro e realizou apresentações e temporadas em vários estados do Brasil e no exterior. Verônica Fabrini, João das Neves, Francisco Medeiros e Marcelo Lazzaratto são diretores com quem já trabalhou.

 

Nathália Alfieri Atriz formada pela Escola de Arte Dramática da Universidade São Paulo (ECA/EAD/USP) e pelo Curso Técnico de Atuação em Teatro Musical do SESI/SP. Tem como principais trabalhos os espetáculos “Umbigo” direção de Gero Camilo; “Cenas para usar Luvas”, direção de Luis Marques Lubi; “Cabaré a escada de Madame B.”, direção de Dagoberto Feliz; “B.O. – uma lenda urbana humana?”, direção Claudia Schapira; “O Pífaro” uma fábula musical de Paulo Faria, direção Iacov Hillel e direção musical Carlos Bauzys; “O Romanceiro da Inconfidência” de Cecília Meireles, com direção de Isabel Setti.

 

Tamirys O’hanna Formada pela Escola de Arte Dramáticas da USP- EAD. Cursou a Escola Livre de Dança em Hip Hop na Broadway Dance Center em Nova York. Atualmente, gradua-se na Fundação Escola de Sociologia e Política FESPSP. Participou por cinco anos do grupo Histórias do Baú, companhia que teve a peça “A oca do curumim” direção de Amauri Alves (2014), convidada para participar do festival FITIJ que aconteceu em Santarém, Portugal e no museu da marionete em Lisboa. Estudou Manipulação e Formas Animadas com Marcelo Lafontana, mestre marionetista pela Universidade de Évora em Vila do Conde, Portugal.

2 thoughts on “AS FORMIDÁVEIS

  1. Sou autor das obras literárias As três Virgens da Burca, Linda Libanesa, O último processo, editado no ebook Cultura, Amazon, Saraiva, enfim gostaria de apresentar uma obra teatral ao grupo As formidáveis. Favor entrar em contato por e-mail gossencesar17@gmail.com ou celular 17-996771294. Atenciosamente, muito obrigado

Deixe uma resposta para admin Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *