home Vem aí CAFÉ AZEDO

CAFÉ AZEDO

Release

Confraria Das Pequenas Mentiras

Apresenta

Angela Fernandes, Camila Leitte e Einat Falbel

em

CAFÉ AZEDO

De Paula Mandel

Direção Einat Falbel e Giseli Ramos

A partir de 15 de Agosto na CASA

Três mulheres num café. Apenas isso e tudo isso.

 Comédia Dramática com temática feminina retoma temporada em novo espaço cênico em São Paulo

 

Com a intenção de compartilhar conhecimento, valorizar o mérito e movimentar a cultura paulistana, o autor e dramaturgo Aguinaldo Silva trouxe para São Paulo em abril de 2018, a CASA – Casa Aguinaldo Silva de Artes, na Vila Buarque. No espaço são oferecidos cursos livres de interpretação para o Teatro (convencional e musical), TV, Cinema, além de oficinas de Roteiro e Dança. O corpo de professores é formado por profissionais de larga experiência no teatro de São Paulo e Rio de Janeiro, todos com o aval de Aguinaldo Silva.

Café Azedo teve sua primeira encenação entre de 29 de março e 01 de junho de 2017, no Teatro Pequeno Ato, com boa aceitação de público e crítica. Agora as atrizes Angela Fernandes, Camila Leitte e Einat Falbel voltam ao cartaz com a trama onde três personagens observam o movimento em uma cafeteria refletindo sobre si mesmas e as pessoas que entram, saem ou ficam. Intuem seus sentimentos, simpatizam ou antipatizam, sempre no plano imaginário, em fluxo de pensamento. Sem dialogar efetivamente, elas se comunicam no campo das identificações e projeções e a identidade de cada uma vai se revelando, aos poucos. “A linguagem poética, quase onírica, nos defronta com nossas próprias histórias, escolhas e renúncias”, afirmam elas.  A partir da personagem-tronco, Café, ramificaram Cacos e Mililitros, que já apareciam secundariamente no conto original (“Onde os Pombos Dormem”, Ed. Benfazeja).

O texto é um mergulho no universo feminino e produz empatia, apostando no poder dos encontros, quando um sorriso ou um gesto produzem micro – às vezes macro – transformações. Esta peça foi escrita por uma mulher, dirigida por mulheres, interpretada por mulheres e é sobre mulheres. Numa cafeteria elas olham pras pessoas, olham uma pra outra, olham pra si mesmas. Nestes olhares elas se quebram em cacos e depois se reconfiguram. Misturadas.

A referência literária mais evidente é Evandro Affonso Ferreira e seu narrador sentado na confeitaria a divagar sobre velhice e morte, interagindo mentalmente com os demais frequentadores (“Minha mãe se matou sem dizer adeus”, Record). A prosa de Evandro, ourivesaria de frases, instiga e comove. Mas não é só. E aquelas mulheres da peça? Vieram de onde?

No entanto, o maior desafio foi pensar o feminino atual, tema desafiador.

“O projeto Café Azedo nasceu de conversas regadas a baldes de café, tapioca e pão de queijo, intercâmbio de ideias, de vivências, de referências literárias e dramatúrgicas, muitas risadas, algumas lágrimas, e às vezes até confidências. Assim foi o processo de transformação do conto Café Azedo, (“Onde os Pombos Dormem”, Ed. Benfazeja) em peça. Um mergulho de quatro mulheres no universo feminino. Nosso universo. Fomos nos engolindo e nos deixando engolir uma pela outra. Tão diferentes: uma escritora, três atrizes. Quatro mulheres com histórias díspares, cada uma com suas dores, suas cores. Neste mergulho fomos nos dissolvendo e misturando nuances, encontrando matizes comuns. Nos reconhecemos um pouco no espelho do olhar da outra. E, aos poucos, sem perceber, éramos um grupo. Não mais um agrupamento de mulheres. Tínhamos realmente um projeto comum. Nossa reunião virou uma confluência, profundamente empática. Acreditamos no potencial dos encontros, sobretudo os femininos. Achamos que uma troca verdadeira entre mulheres é um retorno ao primitivo, ao matriarcal. Sem julgamento, mas acolhimento. No decorrer do processo nos vimos emprestando o rosto para as personagens, tomando seus rostos emprestados. E assim nasceu a peça, inserida no contexto de (re)união feminina, tema atual.” Paula Mandel, Angela Fernandes, Camila Leitte e Einat Falbel

Sobre A CASA Localizada na Rua Major Sertório, 476, Vila Buarque, a Casa Aguinaldo Silva de Artes ocupa uma ampla área, com espaço para as aulas e um teatro com 100 lugares para apresentações de peças encenadas pelos alunos e também espetáculos com renomados atores da cena teatral brasileira.

Sobre os Cursos

Módulo Avançado – TV e Teatro: Duração de nove meses, com carga horária semanal de três horas. Para alunos com experiência ou que já passaram pelos cursos da CASA com condições para módulo avançado.

Iniciantes – Livre – Duração de nove meses, com carga horária semanal de três horas. Para qualquer pessoa a partir dos 17 anos que queira exercitar seu potencial criativo e comunicativo, trabalhando a desinibição e a expressividade ou uma vocação explícita para as artes cênicas (teatro, cinema e televisão).

Interpretação Livre – Criança e Juvenil – Duração de nove meses, com carga horária semanal de duas horas. Para crianças de 8 a 12 anos (infantil) e jovens de 13 a 16 anos (juvenil).

As matrículas estão abertas e os cursos e oficinas são destinados a todos os públicos, de todas as idades.

 

Sobre a equipe da peça

Einat Falbel – Atriz Diretora Atriz, bailarina e diretora, com 20 anos de experiência em teatro, cinema e TV. Integrou o quadro de atores do grupo Tapa por 7 anos, participando de várias montagens teatrais, entre elas: Vestido de Noiva, Moço em Estado de Sítio, O Telescópio, Casa de Orates, As Viúvas. Integrou a Cia do Feijão de 1999 a 2004 e apresentou as seguintes peças: Movido a Feijão, O Ó da Viagem e Antigo 1850. Últimos trabalhos em Teatro: Senhora dos afogados de Nelson Rodrigues, Ensaio Para Inverno, Piscina sem água, Cacoete, a trilogia Enquanto isso, No coração do mundo, As Eruditas, Fracasso, Las Perras, Passei ontem corrigindo hoje, Bichado, Animais de Hábitos Noturnos, entre outros. Atuou em diversos filmes publicitários, entre eles lençóis e toalhas Santista, Pálio Exl, Omo, novela a Cor do Pecado. Como Locutora, Coelhinho Sabido, Vivo, Novalgina, Banco do Brasil, Abecs, entre outros. No Cinema o média metragem Os Penúltimos serão os segundos de Sung Sfai e nos longas metragens O Ano em que meus pais saíram de férias de Cao Hamburguer, 2005/2006, Lula, o filho do Brasil, de Fabio Barreto, 2009, La noche anuncia la Aurora de Gerad Uzcategui (Venezuela), Metanóia de Miguel Nagle (4u Filmes) no seriado O Negócio (Luca Paiva Mello, Rodrigo Castilho HBO/Mixer), de Michel Thikomiroff e Júlia Jordão. Atualmente é professora de Expressão Corporal e interpretação no Teatro Escola Célia Helena. Pós-Graduada em Direção Cênica na Faculdade de Artes Cênicas Célia Helena. Na Direção: Pós- Man de Tony Giusti, Deixe-me contar de novo de Caio Fernando Abreu, 30 anos, 3 Anas, Renata Torres, Essa Moça ligando para Tom Waits ainda acordado em Istambul, de Alberto Guiraldelli, Acorde, entre outros.

Giseli Ramos – Diretora Atriz, diretora e professora, com formação em Psicologia e Artes, possui experiência superior a 20 anos em teatro. Pós-Graduada em Direção Cênica na Faculdade de Artes Cênicas Célia Helena. Como professora trabalhou nas áreas de interpretação e montagem nas escolas Macunaíma, Incenna, Nilton Travesso, Escola Nacional de Teatro, 4ACT e Recriarte, assim como em oficinas nas Prefeituras de São Paulo e São Bernardo do Campo. Realizou cerca de 50 espetáculos. Integrou diversas oficinas ao longo dos anos, entre elas: Clown (Bete Dorgan), Dramaturgia (Samir Yazbek), Mímica Moderna e Teatro Físico (Luis Louis), Interpretação/Técnicas de Teatro Contemporâneo (Inês Aranha de Carvalho e Brian Penido Ross – Grupo TAPA), Interpretação/Realismo no Teatro (Denise Weinberg). Últimos trabalhos em Teatro como atriz: A Dama da Loção Antipiolho (Tennessee Williams), Menina Soldado (Criação Colaborativa), Ela se Vinga com o Monólogo (Simone de Beauvoir), Delicadas e Perversas (Nilza Resende), 2020 (Criação Colaborativa). Na Direção: Leituras dramáticas realizadas na Caixa Cultural, Delicadas e Perversas, Codireção em Acorde, entre outros.

Angela Fernandes – Atriz Atualmente em cartaz com o espetáculo ‘’Só Mais Uma’’ de Dorothy Parker, direção Einat Falbel. Em 2015 trabalhou na direção do espetáculo “Antes Solteira que Mal Casada”, inspirado na obra de Martins Pena. Em 2014 participou da oficina “A Energia da Criação”, com direção de Eve Doe Bruce, atriz do Théatre Du Soleil. Participou da Oficina de Interpretação para TV, ministrado pelo Diretor Wolf Maya, em abril de 2011. Faz parte da Cia D’alma de teatro da diretora Sandra Corveloni e atuou em duas peças de Jean-Baptiste Poquelin Molière: Doente, baseada na obra “Doente Imaginário” em 2013 e “L’Illustre Molière” de 2011 a 2015. Entre 2009 e 2011 fez parte do grupo de estudos do Grupo Tapa. Em abril de 2009 concluiu o curso de Dublagem. Em julho de 2009 participou da peça “Pedreira Das Almas” de Jorge Andrade com direção de Brian Penido Ross. Em setembro de 2009 concluiu o curso de interpretação e formação de atores na escola Wolf Maia.

Camila Leitte – Atriz Em 2002 concluiu Artes Cênicas no Teatro Escola Macunaíma adquirindo DRT de Atriz profissional. Cursou no Núcleo Experimental a oficina para atores profissionais “Alma de Cetim”, com Einat Fabel e Alexandre Meirelles. Como atriz atuou com outros grupos de teatro nas peças Piramo e Tisbe, O Rei da Vela, Underground, Isabela Astróloga de Araque,  Fracasso (com a Cia do Ator Careca no Teatro Augusta),  e em  Pedras Preciosas (com Adriana Duque e Juçara Corrêa no Teatro Commune). Atualiza-se anualmente na escola de Flamenco “Amor De Dios” em Madrid, onde já teve aulas com Concha Jareño, Imaculada Ortega e Belen Lopez, em Sevilha estudou no Estudio Andrés Marín com a bailarina Patricia Guerreiro. Participou dos cursos internacionais realizados no Brasil com as bailarinas espanholas Carmem La Talegona e Guadalupe Torres, atualmente estuda com as bailarinas brasileiras Ana Paula Campoy e Ale Kalaf. Na TV participou da mini série ” A História de Estér ”  na Rede  Record.

Paula Mandel – Dramaturga Autora de textos publicados em revistas literárias e antologias. Publicou os livros “Onde os Pombos Dormem” e “Café Azedo”, ambos pela Editora Benfazeja. Sua peça “Esperando  Clodô” foi aprovada pelo Proac ICMS e está em fase de montagem. Foi uma das autoras participantes do “Zona Lê Mulheres”, que ocorreu em 2017 no Teatro Pequeno Ato. É uma das autoras do projeto Senhoras Obscenas de resgate da literatura de autoria feminina. Atualmente estuda psicanálise e atende pacientes mulheres em situação de vulnerabilidade social.

 

 

Ficha Técnica

Dramaturgia: Paula Mandel

Direção: Einat Falbel e Giseli Ramos

Elenco: Angela Fernandes, Camila Leitte e Einat Falbel

Desenho de luz: Yuri Cummer

Cenografia e Figurino: João Alfredo

Consultoria de Figurino: Fernanda Lamana

Trilha Sonora: Franco De Paula

Fotografia: Pedro Clash e Gleiber Felix

Produção: Confraria das Pequenas Mentiras

Serviço

CAFÉ AZEDO

CASA

Casa Aguinaldo Silva de Artes

Rua Major Sertório, 476 – Vila Buarque

(11) 32138754/ (11) 95786-7307 (whatsapp)

Vendas: www.ingressorapido.com.br

Quartas às 20h30

 Ingressos:

R$ 40

Duração: 50 minutos

Recomendação: 14 anos

Estreou em 29 de Março de 2017

Reestreia dia 15 de Agosto de 2018

Temporada: até 26 de Setembro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *