home Acervo LEITE DERRAMADO

LEITE DERRAMADO

Release

LEITE DERRAMADO

Texto Original: Chico Buarque

Adaptação, Direção e Cenografia: Roberto Alvim

Com Juliana Galdino, Renato Forner, Diego Machado,

Taynã Marquezone, Caio D’aguilar, Arthur Rangel,

Luis Fernando Pasquarelli e Nathalia Manocchio

 

Nova temporada pelo Prêmio Zé Renato:

 De 07 a 16 de Julho no Teatro Paulo Eiró

Com direção de Roberto Alvim, adaptação cênica do romance homônimo de Chico Buarque faz nova temporada em São Paulo

Indicação ao Prêmio APCA de Melhor Atriz – Juliana Galdino

Três indicações ao Prêmio Shell:

Melhor Atriz – Juliana Galdino

Melhor Direção – Roberto Alvim

Melhor Iluminação – Domingos Quintiliano

Publicado em 2009 e lançado em dezenas de países, o livro Leite Derramado foi o vencedor dos prêmios mais importantes da Literatura em língua portuguesa: Prêmio BRAVO!, Prêmio JABUTI e Prêmio PORTUGAL TELECOM.

Trata-se de uma visão panorâmica de séculos da História do Brasil que termina apontando para a necessidade urgente de reconstruirmos nossos procedimentos éticos em direção a novas possibilidades de ação política.

Seu protagonista é Eulálio D’Assumpção que, aos 100 anos de idade, encontra-se abandonado numa maca em um corredor de hospital público. É o herdeiro de uma tradicional família que chegou ao país com a corte portuguesa: antepassados aristocratas, avô latifundiário escravagista, pai senador corrupto, neto guerrilheiro, bisneto traficante…

Perdulário, alienado e contraditório, está agora completamente falido e se defronta com a precariedade trágica de um sistema construído por uma elite rentista nacional da qual sua família foi parte integrante.

A obra propõe uma elaboração estética da singular experiência do TEMPO no Brasil, situando-se numa interzona na qual tudo se transmuta apenas para repetir-se em sua sórdida estrutura autodevoradora: delirando, nos últimos instantes de sua vida, o protagonista é atravessado por eventos cruciais de nossa História, em um pandemônio no qual ruem as fronteiras que separam mundo interno e mundo externo, passado e presente, memória e imaginação, religião e poder, indivíduo e sociedade, política e mitologia…

O espetáculo fez temporadas bem sucedidas no Sesc Consolação, em São Paulo, e no Sesc Ginástico, no Rio de Janeiro, como parte integrante da Extensão Mirada,  circulação de espetáculos que participaram da 4ª edição do MIRADA} Festival Ibero-Americano de Artes Cênicas de Santos, um panorama da produção contemporânea e seus principais criadores.

 

Sobre a equipe:

Roberto Alvim – Adaptação, Direção e Cenografia É dramaturgo, diretor e professor de Artes Cênicas. Atuando profissionalmente há 25 anos, escreveu e dirigiu mais de uma centena de peças, encenadas no Brasil e em países como França, Alemanha, Bélgica, Suíça, Argentina e México. Lecionou Dramaturgia e História do Teatro em instituições como a Universidade de Córdoba (Argentina), a ELT – Escola Livre de Teatro (SP), a CAL – Casa das Artes de Laranjeiras (RJ), a SP Escola de Teatro, além de ministrar oficinas em diversos Estados do Brasil, a convite do Ministério da Cultura. De 2009 a 2015 foi professor e coordenador do Núcleo de Dramaturgia e Encenação do SESI em Curitiba. Foi o primeiro autor brasileiro publicado na mais importante coleção de dramaturgia contemporânea europeia, a Les Solitaires Intempestifs, em 2005. Em 2010, foi o Curador do FESTIVAL INTERNACIONAL DE TEATRO de São José do Rio Preto. Foi Curador da Mostra DRAMATURGIAS, realizada no CENTRO CULTURAL BANCO DO BRASIL (RJ) em 2009. Traduziu as obras de autores como Ésquilo, Harold Pinter, Samuel Beckett, Gregory Motton, Arne Lygre, Henrik Ibsen, Jean Genet, William Shakespeare e Richard Maxwell. Foi Diretor Artístico do Teatro Carlos Gomes – Sala Paraíso (RJ) de 2001 a 2004, e do Teatro Ziembinski – Centro de Referência da Dramaturgia Contemporânea (RJ) de 2005 a 2007, onde criou o movimento Nova Dramaturgia Carioca. Ministrou palestras e workshops em diversas Universidades (como UNI-RIO, USP, UFSC, entre outras) e Festivais de Literatura e Teatro, no Brasil e no exterior. Colaborou com artigos sobre dramaturgia contemporânea em revistas como a OUTRESCÈNE do Theatre National de La Colline (sediado em Paris), e a SALA PRETA da USP. Em 2011, foi convidado a lecionar dramaturgia em Bruxelas, para um grupo de autores europeus de diversas nacionalidades, pela Cifas – La Bellone (Maison du Spectacle). Em 2012, foi convidado pelo projeto IBERESCENA e pelo Centro Cultural da Espanha a lecionar dramaturgia para um grupo de autores latino-americanos em Montevideo (Uruguay), e para um grupo de autores em Guadalajara (México). Em 2013, foi convidado pelo MINC a lecionar dramaturgia para um grupo de autores europeus, durante a Feira do Livro de Frankfurt (Alemanha). É autor do livro teórico DRAMÁTICAS DO TRANSUMANO, publicado no Brasil em 2012 (e lançado em alemão e espanhol em 2015). Desde 2007 reside em São Paulo, onde dirige a companhia CLUB NOIR, declarada PATRIMÔNIO CULTURAL da cidade de São Paulo em 2014. Além de diversas indicações para os prêmios mais importantes do teatro brasileiro, incluindo 3 indicações ao Prêmio SHELL e 6 indicações ao Prêmio APLAUSO BRASIL, venceu o Prêmio BRAVO 2009; Prêmio APCA 2012; e o Prêmio Governador do Estado de São Paulo 2012. Em 2014, dirigiu os espetáculos TRÍPTICO SAMUEL BECKETT com Nathalia Timberg; e TERRA DE NINGUÉM, de Harold Pinter, com Luis Melo, Caco Ciocler e Edwin Luisi.  Por estas duas encenações, foi indicado ao Prêmio Governador do Estado 2014 como Melhor Diretor. Em 2015, encenou CAESAR – COMO CONSTRUIR UM IMPÉRIO, de William Shakespeare, com Carmo Dalla Vecchia e Caco Ciocler; O BALCÃO de Jean Genet; e FANTASMAS de Henrik Ibsen. Dirigiu as óperas ARTEMIS, no Theatro São Pedro; A VOZ HUMANA, no Teatro Municipal de Guarulhos; e KAFKA + KURTAG, no Theatro Municipal de São Paulo.

 Juliana Galdino – Atriz É atriz, diretora e professora de Artes Cênicas. Trabalhou de 1999 a 2006 com o diretor Antunes Filho, atuando em uma série de espetáculos: Fragmentos Troianos; Foi Carmen Miranda; O Canto de Gregório; PrÉt-À-POrtêr 3, 4, 5, 6 e 7; e protagonizando os espetáculos: ANTÍGONA e MEDÉIA 1 e 2, tendo vencido o Prêmio SHELL 2002 de Melhor Atriz por este último. Foi Professora de Atuação nas seguintes instituições: CPT – Sesc Anchieta, de 2001 a 2005; USP (ECA), como professora convidada, em 2006. Ministrou dezenas de Oficinas para Atores em uma série de cursos-livres, tanto na cidade de São Paulo quanto em outros Estados do Brasil. Nestas oficinas, desenvolveu uma metodologia singular relacionada à técnicas vocais e corporais. Em 2011, foi convidada a ministrar um Workshop de Atuação em Bruxelas (Bélgica), para um grupo de atores europeus de diversas nacionalidades, pela Cifas – La Bellone (Maison du Spectacle). Em 2006, criou a companhia CLUB NOIR, ao lado do diretor Roberto Alvim, com a qual estreou dezenas de espetáculos até o momento, entre eles: O QUARTO, de Harold Pinter (vencedor do Prêmio BRAVO de Melhor Espetáculo de 2008); HOMEM SEM RUMO, de Arne Lygre (indicado ao Prêmio SHELL 2008 de Melhor Direção e Melhor Iluminação); COMUNICAÇÃO A UMA ACADEMIA, de Franz Kafka (pelo qual foi indicada ao Prêmio SHELL 2009 de Melhor Atriz); PEEP CLASSIC ÉSQUILO (vencedor do Prêmio APCA 2012 e do Prêmio Governador do Estado 2012). TRÍPTICO SAMUEL BECKETT de Samuel Beckett, ao lado da atriz Nathalia Timberg. O espetáculo estreou no CCBB – SP em janeiro, e permaneceu ao longo do ano em tourné por dezenas de cidades do país. A atriz Nathalia Timberg recebeu pela obra o Prêmio Faz Diferença do Jornal O Globo. O BALCÃO, de Jean Genet com direção de Roberto Alvim (espetáculo contemplado pelo Prêmio Zé Renato, indicado para o Prêmio Aplauso Brasil e Quem! por direção e melhor espetáculo (Roberto Alvim), elenco e melhor atriz (Juliana Galdino). Ficou em cartaz por 4 meses no teatro Club Noir e excursionou por várias capitais brasileiras nos anos de 2015 e 2016. FANTASMAS, de Henrik Ibsen ao lado de Guilherme Weber, Pascoal da Conceição, Mário Bortolotto e Luisa Micheletti, a peça teve sua estreia em novembro de 2015 no Sesc Santana, ficando 2 meses em cartaz e recebendo indicações ao Prêmio Aplauso Brasil e Quem! para direção, ator (Guilherme Weber), atriz (Juliana Galdino), direção, cenário e iluminação (Roberto Alvim) e melhor espetáculo. Além disso Juliana Galdino criou o Projeto Paralela Noir, onde já dirigiu mais de 15 peças com jovens atores interessados na pesquisa da cia. Club Noir. No cinema atuou em Nina, de Heitor Dália, Boca do Lixo, de Flávio Frederico, Cara ou Coroa, de Hugo Giorgetti, Família Vende Tudo, de Alain Fresnot, entre outros. Na TV participou das duas temporadas de Magnífica 70, série dirigida por Claudio Torres, na HBO.

Vladimir Safatle – Trilha Sonora Original Professor do Departamento de filosofia da Universidade de São Paulo, professor-convidado das Universidades de Paris VII, Paris VIII, Toulouse, Louvain e Stellenboch (África do Sul). Autor de vários livros sobre teoria crítica, filosofia política, psicanálise e filosofia da música, ex-aluno de piano de Jay Gottlieb, vencedor do prêmio Aplauso de melhor trilha sonora para teatro em 2015 com a música de “Caesar: como construir um império”.

Domingos Quintiliano – Iluminação Iluminador paranaense radicado em São Paulo, colocou seu nome entre os grandes manipuladores da luz em cena no teatro brasileiro. Foi parceiro de Ulysses Cruz na época do grupo Boi Voador e começou com ninguém menos do que Antunes Filho em seu CPT (Centro de Pesquisa Teatral). Já trabalhou com nomes como Antonio Fagundes, Mauro Rasi, Francisco Medeiros, Gabriel Villela e Naum Alves de Souza. Foi dele a luz da lendária montagem de “Rei Lear”, de William Shakespeare, com Paulo Autran, em 1996. Afinal, a luz do mago Quintiliano é testemunha da história recente dos palcos nacionais e ganhador de vários prêmios, entre os quais se destacam o  PRÊMIO SHELL, PRÊMIO SHARP DE TEATRO, PRÊMIO A.P.C.A. e o PRÊMIO MOLIÈRE, os mais importantes do teatro brasileiro.

João Pimenta – Figurinos Nascido em São Sebastião do Paraíso (MG), João Pimenta desfilou sua primeira coleção no São Paulo Fashion Week (Verão 2011), em junho de 2010. Antes de ingressar no evento, o estilista já chamava atenção da crítica especializada por apostar nos contrapontos como ferramentas para discutir a moda masculina. Não à toa, jogos de opostos envolvendo conceitos de pobre e rico, masculino e feminino eram constantes desde o início de sua trajetória na moda paulistana ― marcada por consistentes apresentações na Casa de Criadores e participações no Mercado Mundo Mix. Sob a ótica de João, vai sendo desenvolvido assim um novo e arrojado olhar sobre o masculino, oferecendo aos homens novas possibilidades na hora de se vestir. Como figurinista realizou trabalhos para o Balé da Cidade (espetáculos como T.A.T.O, Paraíso Perdido e Brasileiros), também fez figurinos para Cia. Hiato, Grupo Sobrevento, entre outros. Foi indicado ao Prêmio Aplauso de 2015 na categoria de Melhor Figurino com o espetáculo Terra de Ninguém e seu trabalho mais recente foi Chet Baker, Apenas um Sopro, peça que contou com Paulo Miklos como personagem principal.

L.P. Daniel – Desenho de Som É curitibano radicado em São Paulo. Formou-se em Letras Português Inglês pela PUC/PR (2005) e em Técnicas de Áudio, Produção de Trilhas Sonoras e Áudio para TV, Rádio e Cinema pelo IATEC, Instituto de Áudio e Tecnologia/RJ (2012). Trabalha com Multimeios em arte realizando projetos autorais e de parceiros. É músico, compositor, projetista de áudio, fotógrafo e artista gráfico. Entre seus principais trabalhos em Música está sua produção de trilhas originais, ambientações sonoras e desenhos de som. Destaca-se a parceria com o diretor Rafael Camargo no Coletivo Portátil do Theatro de Alumínio desde 2009 e com a companhia Club Noir, com direção de Roberto Alvim nos espetáculos “Tríptico Samuel Beckett”, “Terra de Ninguém”, “O Balcão”, “Fantasmas”, entre outros.  É integrante da Sociedade Líquida dirigida por Eric Lenate com quem colabora desde 2013, em espetáculos como “Sitdowndrama”, “Ludwig e Suas Irmãs”, “Fim de Partida”, “Mantenha Fora do Alcance do Bebê” e “O teste de Turing”. Com dezenas de espetáculo em seu repertório trabalhou também com os diretores Tonio Luna, Fernando Gimenes, Michelle Ferreira, Arthur Hiroyuki e Dawton Abranches.

Marcel Gritten – Ator Nascido em Curitiba, é ator, diretor, produtor e operador de som. Formado em Comunicação Social – Publicidade e Propaganda, pela Universidade Federal do Paraná. Ator integrante do “Grupo Delírio”, de Edson Bueno, de 2005 a 2014, participando de 15 espetáculos. Trabalhou com a Companhia “Regina Vogue Produções”, durante os anos de 2008 e 2009. Atuou em trabalhos com outros diretores e companhias, como: Rafael Camargo, Cesar Almeida, Marino Jr, Regina Bastos, Mateus Zuccolotto, João Luís Fiani, Preto Galiotto. Atualmente é ator da Cia. Club Noir em SP, de Roberto Alvim e Juliana Galdino. Em 2007, produziu e apresentou o programa “Vocação”, no Canal Universitário da TV UFPR. Dirigiu o espetáculo “Entre dois continentes da morte”, de Marcelo Bourscheid, em 2014. Em 2006, ganhou o Troféu Gralha Azul – Prêmio Governador do Estado do Paraná na categoria Revelação pelo monólogo “Werther”. Desde 2016, trabalha como Assistente de Produção para a Roda de Criação Produção Cultural.

Caio Rocha – Ator No litoral Norte em São Sebastião iniciou seus estudos teatrais, onde também ministrou aulas de teatro e foi criador do grupo Cia Líber Pather, representou a cidade ganhando o prêmio de melhor ator no Festival de Talentos Paulo Autran na TV Cultura pela Secretaria de Educação do Estado de São Paulo, participou do Projeto Ademar Guerra e ministrou aulas de teatro também na cidade de Caraguatatuba. Em São Paulo atuou no espaço Teatro Oficina Uzyna Uzona, fez cursos no Teatro da Vertigem, cursos no Paralela Noir da Cia Club Noir onde permanece hoje como ator e na dança fez cursos pela Funarte de Dança Contemporânea, Dança Moderna técnica de Merce Cunningham e Danças Urbanas.

Luis Fernando Pasquarelli – Ator Graduado em Artes Cênicas pela Escola de Comunicações e Artes da USP. Com o Grupo de Teatro da Poli (GTP) realizou espetáculos como ator (Exercícios de Ser, Merolhar, O homem do princípio ao fim, Rockaby, Bodenlos – sem chão e Vestigium) e como diretor (Lisístrata, Só para loucos e Hamletmaschine). Apresentou o espetáculo Bodenlos – sem chão no Festival APOSTROF de Praga, na República Tcheca, e na Universität der Künste, em Berlim. Com o espetáculo Vestigium, voltou à Praga para a 12ª edição do Festival APOSTROF e participou do Festival de Teatro de Yolombó (Colômbia). Trabalhou na Cia. Pau D’arco de Teatro, na qual realizou suas pesquisas como ator e dramaturgo. Com a Pau D’arco, ministrou uma oficina de Teatro Contemporâneo no Teatar Levo, em Belgrado (Sérvia). Participou do espetáculo Expresso K., como ator e dramaturgo, realizando apresentações em Praga e Belgrado, além de temporada em São Paulo, na sede da Cia. do Feijão. Realizou duas produções com o grupo CLUB NOIR na Paralela Noir, com os espetáculos Fluxo Floema e Ouvido no Escuro.

Diego Machado – Ator “Iniciou a carreira no Teatro em 2014 através das PARALELAS Noir  , ministradas por Roberto Alvim e Juliana Galdino e hoje integra o elenco da Cia CLUB NOIR . Como resultado das oficinas apresentou os espetáculos H.A.M.L.E.T , A Terra Vista Da Lua , Viva la Revolucion e LEVANTE. Com a Cia estreou o espetáculo O BALCÃO , de Jean Genet , com direção de Roberto Alvim. Participou como ator da Ópera A VOZ HUMANA, de Francis Poulenc , libreto de Jean Cocteau com direção de Roberto Alvim.”

Taynã Marquezone – Atriz É atriz, produtora cultural e pesquisadora. Formada em Artes Dramáticas na Fundação das Artes de SCS, se especializou em Produção e Gestão Cultural, além de cursos de formação em cinema, com diretores como Fernando Leal, Robert Milazzo (NY) e Rodrigo Audi. Em pedagogia teatral, com Sérgio de Azevedo. E teatro – Performance Lítero-Teatral, com Georgette Fadel e Criação de narrativas para a cena improvisada, com Frank Totino, membro da Theatresports Institute. Atualmente, é atriz na CIA CLUB NOIR, atuou nas Paralelas Noir: H.A.M.L.E.T., A Terra Vista da Lua, O Casamento do Pequeno Burguês (Direção: Juliana Galdino e Roberto Alvim), e nos espetáculos: O BALCÃO, de Jean Genet  e FANTASMAS, Henrik Ibsen, Direção: Roberto Alvim. Trabalhou no grupo “Imagini”, de Carlo Felipe Pace, como atriz e produtora de 2009 até 2013. Atuou também nos espetáculos: Campeões do Mundo (dir. Tin Urbinatti), Ascensão e Queda da Cidade de Mahagonny (dir.Warde Marx), entre outros. No cinema, alguns trabalhos são os longas-metragens: Amor em Sampa (dir. Carlos Alberto Riccieli) e Take 1 (dir. Fabrizio Fernandes). Produziu seu primeiro curta-metragem, A Carta, inspirado no grupo de estudo do cineasta Ingmar Bergman. E atua como produtora em festivais de teatro e eventos culturais em SP e no ABC Paulista.

Renato Forner – Ator É ator e diretor. Pelo Club Noir trabalhou nos espetáculos H.A.M.L.E.T; Tríptico Richard Maxwell – 3 espetáculos do autor norte-americano Richard Maxwell- (indicado ao prêmio Bravo! de melhor espetáculo, ao prêmio Shell pela criação e pesquisa e escolhido pela Folha de São Paulo como o melhor espetáculo de 2010); Peep Classic Ésquilo – as oito tragédias de Ésquilo – (vencedor do prêmio APCA de 2012, vencedor do Prêmio Governador do Estado – 2012; escolhido pela Folha de São Paulo como Melhor espetáculo do ano de 2012, indicado como melhor elenco, direção e figurinos para o prêmio Questão de Crítica 2013 no RJ). Cursou o CPT (Centro de Pesquisas Teatrais do diretor Antunes Filho). Atuou no projeto contemplado pela Petrobrás MOSTRA BRASILEIRA DE DRMATURGIA CONTEMPORÂNEA. Em Jundiaí, atuou nos espetáculos Maria e os Pacotes, O TESTEMUNHO, Plínio no Sofá, entre outras. Durante 6 anos foi  responsável pela Oficina Conveniada de Teatro da Casa da Cultura. De 2000 a 2010 foi professor de teatro na Pastoral do Menor (Núcleo Jardim São Camilo, Vila Nambi e Jardim Tamoio). Durante esses 10 anos desenvolveu seu trabalho com grupos de diversas faixas etárias e apresentou, ano a ano, o resultado deste trabalho em forma de espetáculos tanto na comunidade, quanto nos teatros da cidade de Jundiaí.

Nathalia Manocchio – Atriz É Atriz, formada em Curitiba pela Cena Hum Academia de Artes Cênicas. Já atuou em mais de 17 espetáculos, dentre eles “Balangandã – Viva Carmen Miranda” o qual recebeu o prêmio Cena Hum de melhor atriz. Durante os anos de 2014 e 2015 trabalhou como Maquiadora Cênica em diversas peças além de realizar trabalhos como Assistente de Direção e Figurinista. Em São Paulo, iniciou os estudos no Club Noir, onde permanece até hoje. Trabalhou como Iluminadora no espetáculo “Levante” e participou da Paralela Noir, ministrada por Roberto Alvim e Juliana Galdino, resultando nas montagens “Engolir a Escuridão” e “Todas as Paisagens Possíveis”.

Ficha Técnica

Texto Original: Chico Buarque

Adaptação, Direção e Cenografia: Roberto Alvim

Elenco: Juliana Galdino, Renato Forner, Diego Machado,

Taynã Marquezone, Caio D’aguilar, Arthur Rangel,

Luis Fernando Pasquarelli e Nathalia Manocchio

Trilha Sonora Original: Vladimir Safatle

Iluminação: Domingos Quintiliano

Figurinos: João Pimenta

Desenho de Som: LP Daniel

Visagismo: Siva Rama Terra

Cenotecnia e Adereços: Fernando Brettas

Programação Visual: Vicka Suarez

Fotos e Vídeos: Edson Kumasaka

Crítico Interno: Welington Andrade

Assessoria de Imprensa: Daniela Bustos, Beth Gallo e Thaís Peres – Morente Forte Comunicações

Assistente de Direção: Steffi Braucks

Técnico de som e Microfonista: Dug Monteiro

Direção de cena: Alex Peixoto

Assistência de Produção: Bárbara Santos

Produção Executiva: Egberto Simões

Administração Geral: Dani Angelotti

Produção: Selma Morente e Célia Forte

Realização: Morente Forte Produções Teatrais e Cia. Club Noir

Projeto Realizado através do Prêmio Zé Renato nº 17/2017

Prefeitura do Município de São Paulo

Secretaria Municipal de Cultura

Núcleo de Fomentos Culturais

Serviço

LEITE DERRAMADO

TEATRO PAULO EIRÓ (468 lugares)

Av. Adolfo Pinheiro, 765 – Santo Amaro

Informações: 5686.8440 / 5546.0449

 

De 07 a 16 de Julho

 Sexta e Sábado às 21h | Domingo às 19h

 Ingressos: R$ 20

*Bate papo com elenco e direção após o espetáculo dos dias 08 e 15

 

 Duração: 70 minutos

Recomendação: 16 anos

Gênero: drama

Estreou dia 14 de Outubro de 2016

One thought on “LEITE DERRAMADO

  1. Grande equipa, Juliana fez uma importante contribuição para Magnifica70. É gostei desde o início, pois ele aborda a ditadura do ângulo de cinema. A censura é evidente para as críticas dos filmes governo e pornográficos, mas nesta série falando sobre sexo não é importante porque eles mostram um modo de vida fora da lei e dentro da lei. Na segunda temporada, “Vicente”, juntamente com o poderoso está preso em uma situação de chantagem e corrupção política, fora deste correm o risco de produzir um filme que denuncia todos os atos em torno do assassinato de um líder. Partilho vezes (http://hbomax.tv/movie/TTL607353) no caso de você querer ver. lembranças

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *