home Acervo A MÁQUINA TCHEKHOV

A MÁQUINA TCHEKHOV

Release

Ariana Sliva, Brian Penido, Dinah Feldman, Emmílio Moreira,

Fernando Poli, Fernando Rocha, Mariana Muniz e Michel Waisman

 em

 A MÁQUINA TCHEKHOV

De Matei Visniec

Direção Clara Carvalho e Denise Weinberg

 

Em cartaz no Instituto Cultural Capobianco

 

                                                                         Depois de mais de 25 anos trabalhando juntas como atrizes,                                                                        Clara Carvalho e Denise Weinberg dividem sua primeira direção

A história de um grande autor, um homem que abrigou em sua carne e em sua alma durante toda a sua vida dois personagens que travaram uma batalha atroz – o médico e o doente. Na atmosfera silenciosa de uma casa, Anton Tchekhov, frágil em seus derradeiros momentos de vida, recebe a visita de suas criaturas. Um cenário onírico em que as suas personagens, vindas de peças diferentes, através de diálogos bem-humorados e surpreendentes se reencontram, se desencontram, se retratam, se destratam, e se acercam para um acerto de contas com o seu criador.

Escrita em outubro de 2000, por Matei Visniec, dramaturgo romeno radicado na França desde 1987, A Máquina Tchekhov se debruça sobre a obra de Anton Tchekhov (1860–1904), grande dramaturgo, contista e romancista russo cujos textos influenciaram toda a moderna literatura ocidental.

Em sua peça, Visniec nos apresenta o próprio Tchekhov como uma personagem: ele é o dramaturgo doente, quase moribundo, sendo visitado pelas personagens de suas peças, antes de morrer. Personagens de suas grandes peças como Tio Vânia, de Tio Vânia, Irina, de As Três Irmãs e Liubov Ravenskaia, de O Jardim das Cerejeiras, aparecem para um acerto de contas final com o criador, tentando entender seus destinos, sofrimentos e os desfechos de suas vidas ficcionais, numa belíssima sequência de chegadas e partidas. A peça é também uma investigação sobre a escrita e o processo de criação de Anton Tchekhov.

Nas palavras do próprio Visniec: “Por que A Máquina Tchékhov? Porque seu teatro é uma máquina de triturar destinos. Eu proponho um olhar sobre essa máquina para ver como ela funciona, por que ela não pára nunca, por que suas vítimas raramente protestam, por que o próprio Tchekhov se deixou devorar por ela… Proponho também um diálogo com Tchekhov, uma maneira de entrar em contato com suas técnicas de escrita… Uma vez que você está dentro da “máquina Tchekhov”, podemos nos “comunicar” quase que diretamente com Tchekhov, pois ele é o personagem principal. Quis escrever uma peça à parte, uma peça que pudesse emocionar mesmo as pessoas que não conhecem a obra de Tchekhov, como uma homenagem a um dramaturgo que me marcou muito e um esforço desesperado do autor Visniec de compreender alguma coisa sobre o mistério da escrita”.

A montagem deste espetáculo foi realizada através do Prêmio Zé Renato, da Secretaria Municipal de Cultura, que também aportou projetos como Urinal, Consertando Frank, Esplêndidos e Salamaleque.

O que nos move? – Uma apresentação da Cia A Máquina

Nosso interesse em encenar A Máquina Tchekhov e a própria criação da Cia A Máquina nasceu de uma intensa pesquisa sobre o realismo russo, pois desde 2012 participamos de um dos grupos de estudos no Galpão do Grupo Tapa, coordenado por Clara Carvalho, que se debruçou sobre algumas das obras do autor Anton Tchekhov e seus paralelos com a contemporaneidade. Ao nos depararmos com este texto, logo nos veio o desejo de encená-lo, pois ele apresenta um painel muito rico da dramaturgia de Tchekhov, trazendo à cena o diálogo entre personagens de suas peças principais. É um texto irresistível para quem conhece o teatro de Tchekhov, e uma porta de entrada para quem quer conhecer. Toda a filosofia e poesia deste grande autor é apresentada de forma clara e sedutora. Antes mesmo da proposta de encenação, a Cia promoveu algumas atividades, como um encontro com Jurij Alschitz, diretor da Academia Russa de Artes, fundador da Escola de Arte Dramática Anatoly Vasiliev e diretor artístico do AKT–ZENT, Organização de Teatro de Berlim. Além disto, foram promovidas duas leituras dramáticas, sob coordenação de Denise Weinberg e Clara Carvalho, a primeira no Instituto Capobianco e a segunda na sede do Grupo Tapa, ambas abertas ao público em geral. O núcleo artístico Cia A Máquina mantém um trabalho contínuo desde 2012. Durante os três últimos anos realizou três apresentações abertas ao público, com estudos aprofundados de no mínimo um ano das peças As Três Irmãs, O Tio Vânia e Os Pequenos Burgueses, sob coordenação de Clara Carvalho de Malu Bazan. A Cia A Máquina tem como parceiras de trabalho e coordenadoras as atrizes e diretoras Clara Carvalho, Mariana Muniz e Denise Weinberg.

 

Sobre Matei Visniec Nasceu em 29 de janeiro de 1956 em Radauti, Romênia, sob a ditadura de Ceausescu. Saiu de sua cidade Radauti e foi para Bucareste estudar filosofia. Acreditava que o teatro e a poesia podiam denunciar a manipulação do povo através das grandes ideologias. Em 1987, afirma-se na Romênia com sua poesia depurada, lúcida, ácida, mas ainda proibida para o palco. Aos 31 anos, chega na França e em 3 anos, começa a escrever em francês e converte a sua limitação na língua em elemento criativo. Paris passa ser a sua pátria mental. É um escritor da resistência, nunca escreveu peças comerciais. Escreve poesia e romance em romeno, mas teatro, sempre em francês. Tem parentesco com o surrealismo e às vezes com o teatro do absurdo. Suas peças têm sempre humor (muitas vezes um humor negro) e silêncios.

Sobre Denise Weinberg Diretora, professora, tradutora, Denise é a atriz mais premiada de sua geração, foi fundadora do Grupo TAPA, onde permaneceu por 21 anos. Em teatro, tem dois Prêmios Molière, três Prêmios Mambembes, dois APCA, um Prêmio Shell e sete Prêmios em Cinema. Seus trabalhos mais recentes em teatro foram As Criadas, de Jean Genet, com direção de Eduardo Tolentino e Isso o que Ela Pensa, de Alan Ayckbourn. Sob sua direção estão os espetáculos O Nome, de Jon Fosse; A Refeição, de Newton Moreno e O Pelicano, de Strindberg. Em cinema, recebeu Prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante com o papel de Ruiva em Salve Geral, de Sergio Rezende. Atuou em Linha de Passe, de Walter Salles, nas comedias De Pernas pro Ar 1 e 2, de Roberto Santucci, entre dezenas de curtas metragens. Na rede globo, A Teia, Dalva e Herivelto e Maysa. Na HBO, a série Alice.

Sobre Clara Carvalho Diretora, professora, tradutora, Clara é uma das atrizes mais premiadas de sua geração; foi indicada quatro vezes ao prêmio Shell e vencedora em 2002, indicada três vezes e vencedora de um APCA e foi também premiada com os prêmios Mambembe, Qualidade Brasil, Prêmio Quem e Aplauso Brasil. Seus trabalhos mais recentes em teatro foram As Criadas, de Jean Genet com direção de Eduardo Tolentino e Preto no Branco, de Nic Grill com direção de Zé Henrique de Paula. Sob sua direção estão os espetáculos Valsa nº6, de Nélson Rodrigues e Órfãos, de Dennis Kelly. Em cinema Clara atuou em O Maior Amor do Mundo, de Cacá Diegues e Quanto Vale, ou é Por Quilo?, de Sérgio Bianchi. Na TV, Clara atuou nos seriados, Os Descolados (Mixer), 9MM (Fox) e O Negócio (HBO) e O Homem da sua Vida (HBO, lançamento em 2015).

Ficha Técnica

Texto: Matei Visniec

Direção: Clara Carvalho e Denise Weinberg

Elenco (por ordem alfabética): Ariana Sliva, Brian Penido, Dinah Feldman, Emmílio Moreira, Fernando Poli, Fernando Rocha, Mariana Muniz e Michel Waisman

Luz: Wagner Pinto

Trilha: Miguel Briamonte

Figurino e cenografia: Chris Aisner

Fotos: Ronaldo Gutierrez

Assessoria de produção: Coletivo Lótus

Produtora Executiva: Marcela Donatto

Direção de produção e Idealização: Fernando Rocha

Realização: Prêmio Zé Renato

Serviço

A MÁQUINA TCHEKHOV

Instituto Cultural Capobianco – Teatro da Memória (50 lugares)

Rua Álvaro de Carvalho, 97, Centro (próximo ao metrô Anhangabaú)

Telefone: (11) 3237.1187

Bilheteria: abre uma hora antes do início do espetáculo, nos dias de apresentação.

Pagamento em cheque ou dinheiro. Não aceita cartão.

Vendas: www.compreingressos.com / (11) 2122.4001

Sábados 21h e Domingos às 19h

Ingressos: R$ 20

Duração: 90 minutos

Recomendação: 12 anos

Estreou dia 08 de Agosto

 Temporada: até 25 de Outubro

One thought on “A MÁQUINA TCHEKHOV

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

agen bola terpercaya Agen bola bandar bola terbesar link judi slot judi online slot casino live skor