home Acervo Pi – Panorâmica insana

Pi – Panorâmica insana

Release

Ministério da Cultura e Marisa

 apresentam

 Cláudia Abreu, Leandra Leal,

Luiz Henrique Nogueira e Rodrigo Pandolfo

em

 

Pi

 Panorâmica insana

 

Textos de Júlia Spadaccini, Jô Bilac e André Sant’anna

com citações de Franz Kafka e Paul Auster*

Direção e Concepção Bia Lessa

 

Sexta a domingo no Teatro Novo

 

Espetáculo que traça um grande panorama sobre o indivíduo inaugura espaço cênico em São Paulo, o Teatro Novo, preparado especialmente para receber essa montagem de Bia Lessa

  Baseado em pessoas e dados reais, o espetáculo Pi – Panorâmica insana traça um painel irônico do mundo contemporâneo. A peça propõe uma lente de aumento sobre a sociedade contemporânea. Temas como indivíduo, civilização, sexualidade, política, violência, nação, miséria, riqueza, gênero e desejo são abordados. “Tudo o que é humano interessa, tudo que é próprio de cada um dos atores tem valor enquanto observação da vida, tal qual ela se apresenta agora.” diz Bia Lessa.  O espetáculo é absolutamente contemporâneo e, ao mesmo tempo, atemporal. A dramaturgia do espetáculo foi concebida a partir dos ensaios, e seu resultado é uma escritura cênica e não um texto convencional. O resultado transita entre artes plásticas, teatro e dança. A escolha do Teatro Novo, administrado pela W7 Produções, deu-se por ser um local preparado para receber essa montagem, onde a ideia do inacabado - mesmo estando pronto para essa primeira fase do projeto arquitetônico - está presente, um espaço entre. Entre as ruinas que representam o que o teatro foi, e o futuro que virá com a conclusão da reforma. Assim é o espetáculo, assim é a vida hoje, entre um futuro onde a humanidade superará suas questões estruturais, ou um futuro desastroso. O espaço cênico de 23 X 20 m é composto por 8 mil peças de roupas, onde os 4 atores desenvolvem suas performances. Todas essas roupas serão doadas a instituições de caridade ao final da temporada. Dando sequência a pesquisa que a diretora vem desenvolvendo a partir do espetáculo Grande Sertão: Veredas, a trilha sonora é desenvolvida em várias camadas onde música, ruídos, ambientes e a voz dos atores (manipuladas tecnologicamente) dialogam entre si. O elenco é formado por Cláudia AbreuLeandra LealLuiz Henrique Nogueira e Rodrigo Pandolfo, atores de diferentes formações e experiências, que juntos vivem 150 personagens de diferentes nacionalidades. A ficha técnica conta com Sylvie Leblanc no figurino, Dany Roland na pesquisa e trilha musical - parceiros de Bia Lessa há muitos anos. Amália Lima e João Saldanha, profissionais ligados àdança como assistentes de direção, e Bruno Siniscalchi como diretor assistente - parceiro de Bia Lessa no espetáculo Grande Sertão: Veredas. Estevão Casé para a criação da espacialidade sonora e a manipulação das vozes dos atores. Essa sonorização especializada é parte fundamental da encenação, uma vez que cria ambiência compondo paisagens, utilizando-se de som cinema e não de teatro. Esse projeto é uma iniciativa e idealização dos atores Cláudia Abreu e Luiz Henrique Nogueira e convidaram: as produtoras Selma Morente e Célia Forte, que imediatamente se propuseram a realizar esse projeto, através da Morente Forte, os autores Jô Bilac e Júlia Spadaccini, e Bia Lessa para a concepção e direção - que agregou ao grupo o escritor Andre Sant'Anna, e a equipe acima citada. *Trecho  do livro ACHEI QUE MEU PAI FOSSE DEUS, com organização e introdução do Paul Auster, Companhia das Letras pg. 111

Ficha Técnica

Textos de Júlia Spadaccini, Jô Bilac e André Sant’anna com citações de Franz Kafka e Paul Auster Concepção, Direção Geral e Escritura Cênica: Bia Lessa Elenco: Cláudia Abreu, Leandra Leal, Luiz Henrique Nogueira e Rodrigo Pandolfo Diretor Assistente: Bruno Siniscalchi Assistentes de Direção: Amália Lima e João Saldanha Concepção Musical: Dany Roland Desenho de Som: Estevão Casé Figurino: Sylvie Leblanc Assistentes: Julia Barreto e Clara Lessa Iluminação: Bia Lessa e Wagner Freire Cenografia: Bia Lessa Fotos: João Caldas Programação Visual: Vicka Suarez Assessoria de Imprensa: Beth Gallo, Dani Bustos e Thais Peres (Morente Forte) Coordenação de Produção: Egberto Simões Produção Executiva: Martha Lozano Assistência de Produção: Bárbara Santos Assistência Administrativa: Alcení Braz Administração: Danilo Bustos Idealização: Cláudia Abreu e Luiz Henrique Nogueira Produtoras: Selma Morente e Célia Forte Patrocínio: Marisa, Laboratório Cristália e Porto Seguro Realização: Morente Forte Produções Teatrais

Serviço

Pi

Panorâmica insana

Teatro Novo (280 lugares)

Rua Domingos de Moraes, 348 - Vila Mariana

100 metros da Estação Ana Rosa

Informações: (11) 3542-4680

Bilheteria: terça a quinta, das 14h às 19h; sexta a domingo a partir das 14h. Acessibilidade para cadeirantes. Estacionamento conveniado: R$ 20. Flat’s Estacionamento – R. Domingos de Moraes, 343 (em frente ao teatro). Geh Estacionamento – R. Azevedo de Macedo 48 Vila Mariana

Vendas: www.ingressorapido.com.br

Sexta e Sábado às 21h | Domingo às 18h

 Ingressos: Sexta R$ 50 | Sábado e Domingo R$ 70

 

Duração: 90 minutos

Recomendação: 16 anos

Gênero: Drama

 

Estreou dia 01 de Junho de 2018

Temporada: até 29 de Julho

2 thoughts on “Pi – Panorâmica insana

Deixe uma resposta para Claudia Neculai Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *