ROSA

Release

Debora Olivieri

em
ROSA
 
De Martin Sherman
 
Direção Ana Paz
 
Em cartaz no Teatro FAAP
 
Temporada
Segundas, 21h. Terças, às 17h
Após oito meses de temporada de sucesso absoluto de critica e público no Rio de Janeiro e participação nos maiores Festivais de Teatro do País, chega ao Teatro FAAP o espetáculo ROSA, de Martin Sherman, com Debora Olivieri, em seu primeiro monólogo – indicada como Melhor Atriz aos Prêmios Shell e Prêmio APTR de Teatro 2011. Ana Paz estreia na direção nessa história que emociona as plateias por onde é apresentada.
Rosa é uma senhora judia de aproximadamente 80 anos que, durante o shivah (período do luto judaico), relembra sua vida, como sua infância em Yultishka – cidadezinha perdida no meio da Ucrânia, de estradas de terra batida e de casinhas minúsculas – até seus dias atuais, em Miami Beach, cidade americana que lhe acolheu. Rosa revive momentos marcantes, como sua mudança para Varsóvia, a invasão da Polônia pelos nazistas, o sonho da Palestina – a terra dos antepassados, que Deus havia prometido – sua passagem por Jerusalém, Atlantic City e Connecticut. Clandestina num navio em Sete, na França, Rosa também viu o mar pela primeira vez e achou que era uma alucinação.
Com leveza, emoção e muita ironia, a personagem nos conduz para quase um século de histórias – suas e do mundo.
A diretora Ana Paz, que também assina a produção do espetáculo, descobriu o texto de Martin Sherman na montagem que assistiu na Argentina e encontrou em Debora Olivieri a atriz judia que buscava para a personagem. Debora Olivieri estava à procura de um texto para encenar seu primeiro monólogo. “Sou judia e fiquei fascinada com a identificação que o texto tinha com minha vida e a história da minha família. Cresci ouvindo histórias de minhas avó e bisavó contando como foi quando saíram da Ucrânia e de todas as perseguições que sofreram”. E desse encontro entre diretora, atriz, surge um dos maiores sucessos encenados no Brasil.
Desde sua estreia no Rio, em junho de 2011, ROSA vem colhendo elogios da critica especializada para atriz e diretora, bem como para toda a equipe técnica: “Sozinha em  cena, a atriz mostra um trabalho magistral no papel de uma senhora que revê sua trajetória”, “… suprema delicadeza da interpretação de Débora Olivieri, conduzida por uma direção sutil, de extrema inteligência, de Ana Paz“ (Tania Brandão, O Globo, 8/6/2011); “Debora Olivieri extrai o máximo do extraordinário papel criado por Martin Sherman e sua performance é, sob todos os aspectos, uma das mais marcantes da atual temporada” “…, a diretora Ana Paz criou uma dinâmica cênica que prioriza de forma admirável os principais conteúdos deste texto belíssimo” (Lionel Fischer); “A diretora Ana Paz se torna invisível na cena, deixando à atriz o papel definitivo de elaborar a idosa. Essa discreta participação, é a prova do eficiente trabalho da diretora diante de um monólogo”, “Débora Olivieri, absoluta e íntegra no palco, se reveste da mulher judia com detalhes que transformam a personagem em verdadeiro feixe memorialístico” (Macksen Luiz).
Texto do Autor Martin Sherman sobre a montagem
Fico muito feliz em saber que ROSA, em sua viagem extraordinária pela vida, logo passará por cidades como Rio de Janeiro e São Paulo. O Brasil ocupa um lugar muito especial em meu coração. Cresci sonhando com o Rio, e, de certa maneira, sonhando com as mulheres que serviram de inspiração para a personagem de ROSA. Assim sendo, valorizo muito essa mistura de sonhos. A exibição de minha peça nesse país tem um sentido muito particular para mim. Espero que Debora Olivieri aproveite seu passeio pela montanha russa da vida e espero também que num futuro próximo tenha a oportunidade de assistir a sua apresentação.
A produção optou pelo horário das 17h na terça feira, pois com isso abre possibilidade para o público que não gosta de assistir teatro em horário noturno. Essa tendência é praticada em vários locais do Mundo.

Ficha Técnica

Texto: Martin Sherman
Tradução: Manuel Mendes Silva
Direção: Ana Paz
Elenco: Debora Olivieri
Cenário: Helio Eichbauer
Figurino: Ana Monteiro de Castro
Trilha Sonora: Tunica Teixeira
Iluminação: Paulo César Medeiros
Desenho de Som: Tunica Teixeira
Desenho Gráfico: Rico Lins
Foto de Cena: Dalton Valerio
Direção de produção: Fernando Azevedo
Produção: Ana Paz

Serviço

Teatro FAAP (500 lugares)
Rua Alagoas, 903 – Higienópolis.
Informações e Vendas: 3662.7233 e 3662.7234.
 
Bilheteria: de quarta à sábado, das 14h às 20h. Domingo das 14h às 17h.
Aceita cartão de débito e crédito: Visa, Máster ou Dinners. Não aceita cheque.
Estacionamento gratuito, com vagas limitadas. Acesso para deficiente. Ar-condicionado.
Segundas às 21h | Terças às 17h
 
Ingressos: R$ 60
 
Duração: 90 minutos
Recomendação: 12 anos
Estreou dia 07 de outubro
Temporada: até 10 de dezembro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *